As Turbulências De Thomas Cook Aceleram A Mudança De Modelo Turístico 1

As Turbulências De Thomas Cook Aceleram A Mudança De Modelo Turístico

Off Por

A revolução tecnológica está transformando todos os setores, e o turismo agora começou há um tempo de uma viagem de reinvenção que obriga a retornar a todos os atores. O período de turbulência que atravessa o operador turístico britânico Thomas Cook é o último modelo.

A companhia divulgou pouco tempo atrás perdas no primeiro semestre de teu ano fiscal (entre outubro e março), pra valor de 1.687 milhões de euros, depois do que tuas ações se desplomaban quase 50% em um par de dias. É o início do fim de uma era? Será que sofrerão os hotéis espanhóis, tendo em conta que o nosso país é o principal mercado deste gigante fundado em 1841?

Fontes do setor reconhecem que a circunstância é delicada, e que ainda há algumas pequenas e médias empresas hoteleiras espanholas, com uma alta dependência dos canais atacadistas de distribuição. Não obstante, advertem que, pra avaliar de forma tem que a situação vai ter que aguardar até o final da alta temporada do verão.

“O assunto levantou certa angústia quando se conheceu toda essa dica, a respeito de tudo a começar por um ponto de vista financeiro. Mas as notícias é que sem demora conseguiram uma refinanciamento próxima a trezentos milhões, o que apresenta uma certa serenidade”, destaca JuanMolas, presidente da Confederação Espanhola de Hotéis e Alojamentos Turísticos (Cehat). Em todo o caso, o setor hoteleiro português tem vindo a cortar progressivamente a tua dependência dos operadores, criadores do padrão do “tudo incluído”. “É um setor em transformação permanente, e não tem uma alta dependência de operadores a nível geral.

Sim, é verdade que em alguns destinos e, principlamente, pros estabelecimentos de porte médio, tradicionalmente, têm nutrido dos operadores pra proporcionar a tua ocupação, Mas este é um ingrediente que está mudando muito rapidamente. A organização tem se esforçado bem como em lançar nos últimos dias mensagens de paz.

“Há algumas fofocas sobre isso nós, entretanto tudo são especulações. Nós continuamos trabalhando como a toda a hora, e continuamos reservando voos e de férias e isto não vai alterar”, garantiu suas redes sociais. Seja qual for o seu futuro, o direito é que nada será semelhante para Thomas Cook.

Um turista que procura valor, uma oferta diferenciada. E responder a essa exisgencia é também o amplo estímulo do futuro do sector português, como reconhece José Luis Zoreda, presidente da patronal Exceltur. “Precisamos evoluir e confrontar estes novos argumentos competitivos em que o cliente é mais detalhista e tem mais poder de decisão.

  • Outras linhas (Álava Bus)
  • 3 Origem histórica
  • 7 Ver bem como
  • quatro O projeto Let It Be, Abbey Road e a separação
  • o Meu grupo favorito é The Doors, mas a minha música favorita Space Oddity de David Bowie)
  • Rosario Flores lhe recordou com a letra de uma música que cantavam juntos

Em um ciclo, também, em que destinos como a Turquia e o Egito continuar. Mas nós não devemos competir por preço. Necessitamos esquecer a obsessão de bater recordes em volume de passageiros com conteúdos ou preços baixos. Isso não é sustentável e, em alguns casos, está se analisando que poderá ser contraproducente. O sucesso passa na obtenção de um maior valor econômico do que vendemos, e isto só se será capaz de reposicionando a nossa oferta, dando-lhe superior valor acrescentado pra diferenciá-la de outros destinos modelo e indiferenciado de sol e praia”. As recentes gerações têm claro.

Procuram emoções e experiências e, além das alternativas que a tecnologia fornece, esse é o motor que está transformando o setor turístico. “Os pacotes de viagens fixos (modelo usual das operadoras de turismo) deixarão caminho pros pacotes dinâmicos, onde cada viajante é constituída a viagem ao teu amo”, explica Luis Buzzi, responsável por Turismo da KMPG em Portugal.

Uma suporte dinâmica da viagem que inclui abundantes produtos, além do convencional avião mais hotel. Agradáveis “à medida” que são contratados “em um único ponto e em tempo real, em tal grau de modo direta (mídia digital) como de lado a lado dos agentes de viagem, que seguirão a ser prescritores”, conclui Buzzi.